Presidente, importa-se de repetir o valor do Passivo?

19 de Março de 2009 – 10:25

«Isto é tão fácil como isto, percebam esta conta: é impossível um negócio que deve 280M€ (!!!!!) viver se factura 55(M€)»

À CONVERSA COM UM CONSELHEIRO LEONINO (da situação)

19 de Março de 2009 – 5:02

“… E ver as coisas como são, isso é ver: mas vê-las como não são, não é ver, é estar cego”

Sermão da 5ª quarta-feira da Quaresma.

Padre António Vieira, 1669

Este prefácio do Padre António Vieira – umas das maiores figuras da história cultural portuguesa, europeia e mundial – aplica-se certeiramente a uma breve conversa tida com um Conselheiro Leonino, (que por respeito não revelarei o nome) este sábado no intervalo do jogo Sporting-Rio Ave, a qual passo a relatar.

A cena passa-se no final da 2ª parte após o 2º golo do Sporting, apontado por Rochemback (o seu 1º golo da época), que depois de muitas criticas à sua prestação por parte de muitas pessoas que assistiam à partida, lá se redimiu e marcou um livre com um remate fortíssimo!

Nisto, um Conselheiro Leonino (CL) que se sentava à minha frente (LMP) insurgiu-se, no meio dos seus próprios festejos, contra os adeptos que haviam assobiado a equipa momentos antes do “golo da tranquilidade”:

CL: É inaceitável que se assobie a equipa! Nunca se apupa uma camisola leonina! O Sporting está sempre acima das questões de preferência deste ou daquele jogador, e quando um jogador representa o nosso clube é igual a qualquer outro jogador com a camisola verde e branca! É inadmissível que se assobie qualquer atleta que represente o SCP!

É nessa altura que eu, que já conhecia o dito sócio de há alguns anos, lhe pergunto:

LMP: Desculpe, e em relação aos dirigentes que representam o Sporting, também acha que eles estão acima de qualquer protesto?

E ele responde, impulsivo:

CL: É claro que sim! Os dirigentes que estão em funções merecem o maior respeito dos sócios e adeptos, e tem a responsabilidade e a enorme honra de representar o clube. Eu próprio, quando estive em funções no Sporting, também passei por momentos sensíveis em termos de resultados, e nunca fui contestado. Houve sempre respeito!

Ao que eu replico:

LMP: De acordo. Mas isso é quando os dirigentes se dão ao respeito. Para ter respeito é preciso se dar ao respeito, porque o clube é uma Instituição centenária por onde passaram centenas de dirigentes que a serviram mas que nunca se sobrepuseram a ela. E essa ideia de que os dirigentes são o clube é uma ideia paternalista e demagógica.

CL: O que é que pretende dizer com isso?

LMP: Por exemplo acha que as declarações e atitude do Presidente relativamente à humilhação de Munique são aceitáveis? Não acha que é altamente criticável a entrevista que ele deu?

Ele, aparentemente surpreendido, como se eu estivesse a afirmar algo de fantasioso respondeu com ar benevolente:

CL: Humilhação? Mas qual humilhação? O jogo era a feijões, por amor de Deus! Já estava perdida a eliminatória…

LMP: Ah o jogo era a feijões???? Um jogo para os oitavos de final da maior competição de clubes do mundo, fase onde o Sporting nunca tinha chegado, era a feijões???? Então nunca ouviu falar de prestígio, notoriedade, honra, respeito pelas camisolas? O mesmo respeito pelas camisolas a que o senhor se referia há pouco?

Aí ele sorriu e disse já sem muitos argumentos:

CL: Oh meu amigo…!

LMP: Olhe somos a chacota de toda a Europa com os resultados dessa eliminatória, e vem o Presidente dizer que foi um momento menos bom, mas que não se sente humilhado? Que o que é importante é ganhar ao Rio Ave e que a culpa é do Miguel Veloso??? Acha que isso é respeitar os sócios e respeitar o clube que lidera?

Sem recuperar o fôlego, prossegui:

LMP: Eu acho espantoso que o senhor que teve o privilégio de viver os tempos áureos do Sporting – porque eu só nasci em 1970 – não perceba que hoje assistimos a um Miserabilismo e um Nivelamento por baixo que é inaceitável e é um insulto à história do clube? É isto que deve ser um clube grande ou um grande clube? Já viu o que era o Sporting de há 20 anos, para não ir mais longe: era um clube rico, tinha muitíssimo património, tinha um passivo insignificante! E agora, o que é que tem?

Nesse instante o Conselheiro encolheu os ombros e disse:

CL: Desculpe lá mas não estou nada de acordo de acordo consigo. Temos um Estádio maravilhoso e uma Academia excepcional!

LMP: E o património, onde é que ele está? E o passivo monstruoso?

CL: Oh meu amigo, isto é uma estrutura muito pesada! Mas nós não conseguimos competir a outro nível na Europa. Olhe lá a diferença dos orçamentos! No entanto as coisas estão no bom caminho, este Presidente está a fazer um excelente trabalho a nível financeiro, e ninguém está livre de ter uns percalços pelo caminho…

Nessa altura dei-lhe um passou-bem e atirei:

LMP: Acho que não vale a pena falarmos mais..!

Em seguida fui ao bar e bebi uma imperial de “penalty”!!!!!

O património não, mas os sócios sim?

18 de Março de 2009 – 1:27

«Ninguém agride o património do Sporting que eu não deixo» Filipe Soares Franco à RTP

E os sócios, já deixa?

À espera (da informação) do Conselho Fiscal…

17 de Março de 2009 – 21:35

O Leão de Verdade tentou, sem sucesso, encontrar uma solução para elaborar um Livro Branco sobre a evolução financeira e patrimonial do SCP desde 1996.

Na altura o acordo não se alcançou devido ao Conselho Fiscal, por indicação do Conselho Directivo, não ter querido que o trabalho fosse (sequer) acompanhado por uma empresa de auditoria externa e independente.

Todavia, o Conselho Fiscal, afirmou que pretendia executar esse trabalho, e que o mesmo estaria disponível antes do VIII Congresso.

A 10 (dez) dias do início do VIII Congresso, esperamos pelo resultado desse trabalho, especialmente quando entregamos os pedidos formais de informação que consideramos fundamental.

Assim exista algo para apresentar… Aguardemos.

Eleições não antecipadas no princípio de Maio (e em dia de jogo)

17 de Março de 2009 – 2:55

Exmo. Senhor Presidente do Conselho Directivo ePresidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal

Lisboa, 14 de Março de 2009

Assunto: Marcação da data da próxima AG eleitoral/ Gestão do período até novas eleições


Exmo. Senhor,


O Sporting Clube de Portugal atravessa um período difícil. Por um lado o facto do Presidente do Conselho Directivo não se recandidatar, promove a especulação em torno dos nomes que irão concorrer ao próximo acto eleitoral. Por outro, os recentes resultados desportivos, com destaque para a derrota histórica e nunca antes sofrida por tão grande diferença, abalou profundamente todos os Sportinguistas.


A forma como a direcção tem lidado com este período delicado, é no nosso entendimento, inadequada, que não honra o Clube, a sua história e os seus adeptos, e apenas promotora de ainda maiores fricções, divisões e querelas internas.


Ao Presidente do Conselho Directivo, pedimos apenas que se abstenha de comentários públicos que visem criar conflitos entre a massa associativa. A pouco tempo de terminar o seu mandato, pensamos que a prioridade é dar a conhecer a realidade do Clube a todos quantos se queiram candidatar, coisa que ainda não aconteceu.


Não queremos, como nunca quisemos, a demissão dos órgãos sociais e provocar eleições antecipadas. No limite esperávamos, depois da derrota humilhante que sofremos, que a direcção pudesse assumir as suas responsabilidades, que não o fez. Não seremos nós a pedi-lo.


Queremos apelar ao Presidente da Mesa da AG, enquanto responsável pela marcação da AG eleitoral, que poderão decorrer entre 1 de Maio e 30 de Junho, que a antecipe para princípio de Maio de forma a clarificar a situação no Clube e dar mais tempo para que a próxima direcção possa preparar a nova época.

Dias Ferreira: De tradição em tradição até à inovação final!

16 de Março de 2009 – 6:01

O consócio Dias Ferreira é um caso paradigmático de longevidade no panorama audiovisual desportivo português e tem sido ao longo destes últimos 20 anos uma das figuras mais reconhecidas pelos sportinguistas de todos os quadrantes, tendo ocupado cargos directivos no clube e recentemente assumindo as funções de assessor da Sporting SAD. Também intervém habitualmente nas A.G.’s do clube e em diversas manifestações e eventos do clube.

É por todas as razões acima referidas uma pessoa que tem responsabilidades explícitas e implícitas na vida leonina, em especial pelo seu papel de comentador na televisão, uma posição de grande visibilidade junto dos média, sócios, adeptos e publico em geral. Para além do seu activo papel na televisão é igualmente colunista no Jornal Sporting.

Vem este breve intróito a propósito do seu último artigo na edição de 10/3/09 do jornal do clube. O Dr. Dias Ferreira defende que se deve acabar com a categoria estatutária de sócio correspondente porque, diz ele “… para mim os sócios do SCP devem ser todos sócios efectivos, com excepção daqueles que por força da idade o não possam ser.”

Diz ainda Dias Ferreira: “… A diferenciação justificava-se quando os sócios efectivos tinham, por assim dizer, alguns direitos de natureza material, que os sócios correspondentes, por razões de ordem geográfica, não conseguiam exercer com a mesma frequência do que aqueles. Diziam sobretudo respeito à possibilidade de assistirem aos jogos de futebol.

A seguir Dias Ferreira afirma algo enigmático e incompreensível: “… Mas hoje, dado que o futebol é assunto da SAD, a questão não se coloca. A questão da assistência aos jogos pouco tem a ver com a categoria do sócio, e as distâncias estão mais «curtas» “

Sinceramente não se consegue descortinar o que é Dias Ferreira pretende dizer com a frase de que o futebol é assunto da SAD. Que eu saiba, o Estádio José Alvalade ainda não pertence à SAD, se bem que, ao que se sabe, é a SAD que fixa o preço dos bilhetes e dos bilhetes de época (gamebox). Mas cá está a confusão que a dicotomia SCP / SAD faz na cabeça das pessoas, até daquelas que têm obrigação de ser imparciais e isentas na sua análise, e de não defender os interesses do clube de forma completamente acrítica, lançando cortinas de fumo contra campanhas negras e cabalas contra o Sporting.

Sublinha Dias Ferreira: “…Não há pois, qualquer razão para manter sócios correspondentes, expressão, aliás, pouco feliz para diferenciar sócios de um clube de vocação nacional, como resulta da sua denominação. … Assim o correcto é todos serem sócios efectivos, e ser concedido a todos a possibilidade de exercer o voto por correspondência., como acontece com os Advogados…”.

O Movimento Leão de Verdade (LdV) aplaude este assomo de democracia directa da parte deste distinto associado do clube, mas, simultaneamente estranha esta postura que denota uma clara contradição entre esta ideia – louvável – e outra defendida pelo mesmo Dr. Dias Ferreira há cerca de um mês ainda no jornal Sporting, em que o advogado argumentava convictamente no sentido de se procederem a alterações estatutárias que viabilizassem no curto prazo um alargamento orgânico do Conselho Leonino e que esse órgão pudesse passar a dispor de poderes executivos. Recorde-se que actualmente o Conselho Leonino tem 58 membros no total e de acordo com os Estatutos do clube sempre foi um órgão meramente consultivo, e que essa regra só foi quebrada com Soares Franco na recente venda do património não-desportivo.

O que Dias Ferreira realmente pretende alinha curiosamente com a estratégia que vem sendo delineada por estes 13 anos de Projecto pós-Roquette, com especial recrudescimento neste últimos anos de SADismo Franquista. O advogado quer acabar com a democracia directa – um dos últimos bastiões de Associativismo Leonino – no clube e institucionalizar uma falsa democracia representativa, em que quem tem “conhecimentos técnicos” ou quem é “notável” é que decide!

Brilhante e original para quem tem fama de grande defensor da tradição sportinguista e dos sócios!

O LdV pretende ir mais longe na democratização interna do Sporting, e assim lança um desafio a Dias Ferreira:

  • Dr. Dias Ferreira: o senhor que está tão preocupado com a categoria dos sócios, e que está tão empenhado em criar as condições para que todos os sócios tenham o mesmo tratamento como sócios efectivos de pleno direito, então dê mais um passo no sentido de realmente tornar o nosso clube num exemplo nacional de Associativismo e comece já a fazer campanha pela revisão do artigo 43º dos Estatutos para que assim o Sporting deixe de ser uma Gerontocracia para passar a ser uma verdadeira Democracia.

Uma mentira repetida muitas vezes, torna-se verdade

16 de Março de 2009 – 1:35

«O Sporting nunca teve 3 anos tão bons como estes» Filipe Soares Franco, 15 de Março de 2009, ao Maisfutebol (ver notícia completa aqui).


O único comentário possível:

«UMA MENTIRA REPETIDA MUITAS VEZES, TORNA-SE VERDADE» Joseph Goebbels.

A VERGONHA da VASSOURADA PIDESCA no Estádio José de Alvalade

15 de Março de 2009 – 10:17

Ideologias à parte, no dia 25 de Abril de 1974, Portugal assistiu à implementação de um Estado de Direito, democrático.

Deixou de existir censura, polícia política e presos políticos. Passou a haver Liberdade: de imprensa, de opinião e expressão etc.

Todavia estes princípios democráticos e usufruto de Liberdades não são garantidos para a eternidade. Têm de ser primeiro instituidos na sociedade, e depois, não menos importante, vigiados e regulados para que não se veriquem retrocessos.

Ontem, dia 14de Março de 2009, no estádio José de Alvalade assistimos a um dia negro da história da nossa democracia e do nosso país. Depois de serem exibidas faixas onde se podia ler «VERGONHA» e «VASSOURADA» assistiu-se à retirada das mesmas pela polícia presente, recorrendo à força.

Quem assistiu ao jogo do Rio Ave pela televisão pôde ouvir o comentador dizer que tinha perguntado aos responsáveis da PSP qual o critério para retirar faixas, uma vez que existem faixas afixadas no estádio, ao que o mesmo responsável terá dito que era para retirar tudo.

Sabemos que existe censura à entrada do estádio José de Alvalade. Não são permitidas faixas «não autorizadas», supostamente pelo Clube.

Sabemos que qualquer indivíduo se quiser mostrar alguma frase «não autorizada» terá de o fazer nos jogos fora, onde o mesmo controle já não é exercido.

Ontem senti VERGONHA de ter uma direcção que supostamente manda retirar frases que não lhe agradam.

Ontem senti VERGONHA de ter uma polícia que actua contra a Constituição da República, e ainda usa e abusa da força perante uma manifestação pacífica.

Ontem senti VERGONHA do meu país e de ser português. Nasci no ano do 25 de Abril e nunca pensei ver em Portugal cenas como as de ontem.

E tudo isto é a prova do grande centro de poder que é o SCP. Apenas organizações poderosas conseguem fazer com que se assista a atropelos graves, com a conivência e acção directa da polícia. É a preservação do poder, custe o que custar.

O Movimento de Cidadania Sportinguista Leão de Verdade irá proceder legalmente, apresentando queixa formal e em todas as instituições de direito, contra a POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA pelo manifesto desrespeito pela LIBERDADE DE EXPRESSÃO e ABUSO DE AUTORIDADE, e contra  QUEM TERÁ MANDADO OU SUGERIDO que essa acção tenha sido perpetrada.

Não é o meu querido Sporting Clube de Portugal que está em causa. É Portugal, o meu país, que é um Estado de Direito, onde existe Democracia e Liberdade.

Vitória importante

15 de Março de 2009 – 9:45

Ao vencer por 2-0 o Rio Ave, o Sporing deu um passo importante rumo ao título, por que todos esperamos. Mais que a vitória de ontem e passagem ao 2º lugar da classificação, a equipa conseguiu superar um momento difícil, especialmente a nível psicológico, depois da derrota humilhante sofrida em Munique.

Os Sportinguistas, estão TODOS de parabéns!

Força Sporting!

Anestesiado ou adormecido? Levanta-te Leão!

13 de Março de 2009 – 23:52

Retiraram o brio, o orgulho e o amor-próprio a este Leão, que jaz prostrado no chão, e que para se sentir humilhado precisa perder por mais de uma dúzia.

Anestesiaram-no? Adormeceram-no? Será que conseguirá sair deste coma induzido em nome do ‘Projecto’?

Seremos nós, TODOS OS SPORTINGUISTAS, a dar essa resposta.

Já não se pede a esta direcção que sofra pelo seu Clube de forma apaixonada, porque não consegue. Que peça desculpa aos seus adeptos de forma sentida, porque não consegue.

Seremos nós, TODOS OS SPORTINGUISTAS, que teremos de EXIGIR a esta direcção: RESPONSABILIDADES e ATITUDE!

Não queremos pedir a demissão de ninguém. Esperávamos que isso acontecesse naturalmente se as pessoas assumissem as suas responsabilidades e se elas próprias tivessem aquilo que queremos para o Clube. Mas nada aconteceu.

Não queremos eleições antecipadas, mas apenas que as mesmas sejam marcadas para o mais breve possível dentro do que é estipulado estatutariamente - princípio de Maio.

Seremos nós, TODOS OS SPORTINGUISTAS, que teremos de assumir as NOSSAS RESPONSABILIDADES e dar essa resposta.

LEÃO, LEMBRA-TE QUE TENS PASSADO E ORGULHO! INDIGNA-TE!

LEVANTA-TE LEÃO!

CONCENTRAÇÃO ANTES DO JOGO CONTRA RIO AVE,

RECOLHA DE MENSAGENS ESCRITAS PARA ENTREGAR AO CONSELHO DIRECTIVO. FAÇAM OUVIR A VOSSA VOZ.

ÀS 19,30H NO METRO DO CAMPO GRANDE.

ÀS 20,00H MARCHA LENTA ATÉ AO EVA PARA ENTREGA DAS MENSAGENS.